#116

CENTRO DE EDUCAÇÃO SOCIAL INTEGRAL NA SERRA DO GERÊS - COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM – “RURAL VIVO!”

Cultura

Cultura

Imagem do projeto

Queremos proporcionar o acesso a uma educação social integral ás pessoas de todas as idades e classes sociais que vivem no meio rural da Serra do Gerês, especialmente a crianças e jovens. Integrando, valorizando e articulando harmonicamente os saberes locais e a herança cultural que caracteriza esta serra, junto com novas ferramentas que permitam às pessoas ter acesso a uma educação integral, baseada nas seguintes 7 áreas: desenvolvimento Físico, desenvolvimento Cognitivo articulado, desenvolvimento Social e Multicultural, desenvolvimento Artístico, desenvolvimento Ecológico, desenvolvimento Produtivo, e desenvolvimento Pessoal.

Pretendemos: oferecer um programa sociocultural baseado nas 7 áreas pedagógicas úteis e necessárias no desenvolvimento do ser humano através de: atividades, formações, jornadas e outros eventos de livre acesso aos /ás habitantes da Serra do Gerês. Valorizar o património cultural, social e natural.

Porquê? Pela escassa oferta cultural e educativa que dispomos nesta zona do pais. Pela necessidade de oferecer às crianças actividades que sejam constructivas na sua formação como ser integral e consciente. Para atrair e ajudar a fixar população jovem na Serra partir de uma oferta cultural interessante, de maneira a combater o êxodo rural e a desertificação das aldeias. Pela dignificação e valorização dos saberes tradicionais, estimulando assim a continuidade nas novas gerações.

A Comunidade de Aprendizagem é composta por todas as pessoas que vivem na Serra do Gerês, que compõem os municípios de Terras de Bouro, Vieira do Minho e Montalegre, onde pouco acesso á Cultura e recursos educativos existem.
Embora se focalizará na oferta cultural para as novas gerações: como mínimo a metade das atividades propostas serão para crianças.

Duração do projeto: 12 meses, com início em Outubro de 2018

Somos um grupo de jovens adultos e famílias, artistas, artesãos, músicos, … com experiência na dinamização de actividades socioculturais, encontros e oficinas com as comunidades locais. Através da A.R.C.Ca., do Núcleo de Agroecologia do Campo do Gerês, e a nível independente e informal como habitantes naturais ou residentes (a tempo completo ou parcial) no Campo do Gerês temos vindo a dinamizar de maneira voluntária e graciosa diversos tipos de actividades e eventos. Actualmente está a formarse por essas e mais pessoas uma associação de desenvolvimento rural.

O que já fizemos no Campo do Gerês: dinamização de aulas de pintura, karaté, yoga, mandalas com crianças; reactivação do grupo cantares polifónicos; concerto no Festival Andanças; saída ao cinema com as e os jovens, actividade de sensibilização e consciencialização sobre o lixo e a reciclagem com as/os jovens da aldeia, 7 edições das Jornadas de Soberania Alimentar, 1 edição do Festival de Artes e Ruralidades (integrado no São João- padroeiro da aldeia), Transformação e Uso da Bolota como alimento, Passeio de reconhecimento, transformação e uso das plantas Silvestres, concerto de taças de cristales de Quartzo, seminário de Pedagooogia 3000, curso de Agricultura Regenerativa, prospeção no concelho de Terras de Bouro sobre fruteiras antigas, e recuperação das variedades num viveiro disponível para os conterrâneos, ações de reflorestação, troca de sementes, dinamização das festas poplares: Natal, Carnaval, 25 Abril, São João; ….

Alguns exemplos do que queremos implementar:
- Intercâmbios culturais
- Programa anual de Teatro Popular
- Cursos de Agricultura Sustentável, Apicultura Natural
- Prevenção de incêndios, reflorestação, implementação de agroflorestas como modelo produtivo e sustentável de horta-pomar-florestal
- Residências artísticas na Serra (criação artística a partir de um saber local)
- Intervenção social (workshops de: comunicação não-violenta, teatro oprimido, …)
- Atividades educativas concretas em cada área pedagógica.
- Aulas de Artes Marciais, Capoeira, Yoga, Teatro, Percussão
- Oficina de carpintaria, de construção de instrumentos,
- Cursos de bio-construção,
- Dinamização de artes e ofícios artesanais através da transmissão de saberes ancestrais,
- Recuperação de variedades locais botânicas, agrícolas e frutícolas através de prospeções especializadas,

Proponentes do projeto
  • Miguel Silva
  • Cláudia Martinho
Cultura

Cultura

  • Orçamento
    50000 €
  • Âmbito do Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Norte
  • Municípios onde aplicar

    Terras De Bouro, Vieira Do Minho, Montalegre

  • Prazo
    24 meses
  • Links do projeto

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal