#25

Vinhos DOC Bairrada e IGP Beira Atlântico – Qualificação a manter com tradição, diferença e inovação.

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Imagem do projeto

A vitivinicultura é um sector de atividade com enorme importância na Região Centro, que, por um lado, contribui decisivamente para a manutenção do uso agrícola de muitos solos e para a ocupação e rendimento, principal ou complementar, de muitas famílias e, por outro, vive uma situação instável devido a gerar baixo valor aos pequenos produtores de uvas, situação particularmente visível na região Vitícola DOC Bairrada e na Região IG Beira Atlântica.
Apesar destas regiões terem vindo a evidenciar alguma resiliência ao atravessar crises profundas e prolongadas, tem-se registado uma contínua diminuição de área vitícola, falta de rejuvenescimento dos produtores e dificuldades de equilíbrio económico-financeiro de vários agentes da produção, transformação e comercialização.
Deste modo e como se trata de um sector muito competitivo, que carece permanentemente de inovar, diferenciar e procurar ir de encontro às tendências contemporâneas da preferência dos consumidores, hoje como nunca em permanente mudança, importa concretizar uma iniciativa de consolidação e transferência de conhecimento técnico-científico, especialmente no que respeita às suas castas autóctones e seus respetivos clones, que lhe conferem especificidade e diferença relativamente aos vinhos realizados com castas-padrão internacionais.
Esta iniciativa terá de assentar nos estudos e trabalhos de investigação e desenvolvimento efectuados por diversas entidades com intervenção no sector, como sejam, organismos do MAFDR, Universidades, Institutos Politécnicos, Comissão Vitivinícola, organizações e associações de produtores, empresas vitivinícolas e outras entidades que desenvolvem actividade experimental e na promoção de debates e de linhas de trabalho para obtenção, clarificação e transferência de conhecimento.
Neste sentido propõe-se a realização das seguintes tarefas:
a) Compilação, tratamento e divulgação, inclusive com publicação eletrónica das conclusões dos estudos e trabalhos de experimentação, investigação e desenvolvimento, concretizados até à presente data.
b) Tendo sido instalado nos anos 80 do séc. XX o 1.º campo de selecção policlonal da casta Baga, com 220 clones prospetados nas Regiões da Bairrada e do Dão, no intuito de manter a variabilidade genética desta casta e preservar a riqueza genética compilada, importa proceder à manutenção imediata do atual campo e futura instalação de um campo com este material genético nas condições edafo-ecológicas de referência da casta. Deste modo contribui-se decisivamente para preservar e caraterizar a totalidade do património genético colhido desta casta – 220 clones
c) Caracterização agronómica, enológica e avaliação da resistência à podridão dos cachos dos principais clones de Baga, particularmente dos 35 já selecionados no âmbito de trabalhos de seleção massal.
d) Avaliação das especificidades dos clones da casta Baga para a produção de espumantes.
e) Estudo e caracterização das vinhas com as castas endógenas mais aptas e de maior potencial de valorização na produção de vinhos base de espumante.
f) Trabalho de análise com microvinificações e espumantização que aponte para a definição do momento ótimo da vindima em função das diferentes castas para a produção de vinhos base para espumante
g) Plano de melhoria do desempenho produtivo e qualitativo da sub-região Terras Sicó da IGP Beira Atlântico, incluindo estudo de caracterização, ações informação e formação para viticultores e para operadores vinícolas e análise económica da actividade na sub-região.
h) Divulgação e avaliação de todos os trabalhos

Proponentes do projeto
  • João Pedro Ribeiro Rama
Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

  • Orçamento
    150000 €
  • Âmbito do Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Centro
  • Municípios onde aplicar

    Águeda, Anadia, Aveiro, Mealhada, Oliveira Do Bairro, Vagos, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-A-Nova, Miranda Do Corvo, Penela, Alvaiázere, Ansião, Pombal

  • Prazo
    18 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal