#344

Teatro na Prisão

Cultura

Cultura

Estudos de investigação,ainda que incipientes, em matéria de teatro nas prisões, têm demonstrado que essas actividades culturais constituem uma mais-valia para os/as reclusos/as, na medida em que permitem uma reformulação do seu quotidiano, uma melhoria ao nível da linguagem e das relações interpessoais, uma mudança no auto-conceito e auto-estima, bem como a possibilidade de diminuição de estigmas, através do contacto com pessoas oriundas da sociedade exterior. Contribui o teatro para a não-dessocialização dos reclusos, promovendo a sua autonomia e auto-afirmação. Estes resultados baseiam-se em entrevistas efectuadas a reclusos que tiveram essa experiência.
Assim, por todos estes motivos e porque o teatro desenvolve o ser humano na sua plenitude, com o seu poder de transformação e de transgressão, na sua essência, julgamos fazer todo o sentido, a proposta de "Teatro na Prisão. Apesar de existirem experiências pontuais nesta área, de estarmos a dar os primeiros passos, torna-se urgente explorar este vasto campo, de forma a podermos alargar o "Teatro na Prisão", a um número cada vez maior de prisões portuguesas.
A proposta que se apresenta engloba duas componentes:
- a da formação de reclusos/as;
- a da escrita de textos e apresentação de performances teatrais.
A formação englobará exercícios de exploração/valorização do corpo e expressão corporal, voz e interpretação, exploração de sentimentos e emoções.
A partir da discussão de ideias, da leitura de textos dramáticos, de outros textos de interesse será construída, pelos reclusos/as, a narrativa que servirá de base à construção das personagens e à consequente apresentação de espectáculo teatral.
Das experiências de vida, de outros recursos apresentados, nascem os textos que serão representados pelos próprios.
Valorizamos a comunicação, o ser humano no seu todo, ainda que atrás de grades.

Proponentes do projeto
  • Margarida da Conceição Lages Gomes Dias
  • Albertina Fernandes
  • Victor Fernandes
Cultura

Cultura

  • Orçamento
    300000 €
  • Âmbito do Projeto
    Nacional
  • Regiões onde aplicar
    Norte, Centro
  • Prazo
    24 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal