#484

Cultivar, cativar e incluir: práticas de integração multicultural positiva na Beira Interior

Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Imagem do projeto

Com um vasto conjunto de primeiranistas e um crescente número de estudantes internacionais, todos os anos as Instituições de Ensino Superior da Beira Interior enfrentam a tarefa de integrar esses recém-chegados. "Cultivar, cativar e incluir" responde ao desafio de criar práticas de integração multicultural positiva com ações em torno da cultura, do voluntariado e do desporto; de observar e registar os processos dessa integração; de construir, enquanto incubadora, um efeito multiplicador de práticas exemplares positivas; e de preservar a memória desses eventos através de publicações.
A universidade constitui não só um espaço de produção e difusão de conhecimento e de competências profissionais, mas também de socialização e aquisição de autonomia dos jovens adultos que a frequentam. Na Beira Interior, as Instituições de Ensino Superior têm uma elevada frequência de estudantes internacionais e deslocados, constituindo pela sua situação geográfica e sociodemográfica um laboratório extraordinário para testar novas práticas de integração multicultural inclusiva em contexto académico.
Na UBI, em 2018, 85% dos seus 7262 inscritos são estudantes deslocados, dos quais 1167 internacionais, representando 38 nacionalidades, com jovens de nacionalidade argelina, marroquina, síria, iraniana, afegã, paquistanesa, tunisina, albanesa, boliviana, egípcia, grega, guineense, moçambicana, nigeriana, entre outros. O Instituto Politécnico da Guarda conta com 2739 inscritos, dos quais 477 estrangeiros.
Com uma paisagem sociodemográfica plenamente multicultural, a UBI e o IPG constituem o palco apropriado para testar práticas multiculturais inclusivas num ambiente controlado, promovendo o encontro entre culturas através de práticas de socialização criadoras de laços afectivos e de solidariedade. A nossa proposta prevê a criação de atividades culturais socialmente úteis, e ao mesmo tempo proceder ao registo e divulgação dessas atividades em suporte duradouro: vídeo e livro.
Cultivar, cativar e incluir desenvolve-se em torno de três eixos: 1) sistematização de atividades; 2) realização de atividades (encontros entre culturas); 3) registo duradouro dos trabalhos desenvolvidos.
Eixo 1. Organização de uma agenda com as ações em curso nos dois distritos, aptas a receber a participação dos estudantes. Esta agenda, atualizada em fluxo contínuo, consubstancia-se numa plataforma multimédia com extensões para as principais redes sociais empregues pelos estudantes alvo (Whatsapp, Facebook, Instagram).
Eixo 2. A realização de atividades (encontros entre culturas) propõe a realização anual de atividades em três áreas distintas:
- Cultura: Realização de saraus culturais etnográficos. Momentos de convívio, conhecimento e partilha com atividades como dança, música acústica e workshops de criação dando a conhecer a culinária das regiões de origem dos estudantes. Realização do congresso "Encontro de Culturas da Beira Interior", tendo por tema o multiculturalismo e com chamada de trabalhos internacional aberta a investigadores.
- Voluntariado: Criação de um programa de voluntariado, em curso durante todo o ano, em articulação com IPSS, ONG e associações da região. O programa de voluntariado consiste num portfolio de atividades e causas que os estudantes possam explorar, que se adequem às suas competências e sensibilidades.
- Desporto: Criação do programa “MoVe-te” para a realização de atividades desportivas e jogos amigáveis em diversas modalidades, tanto na Guarda como na Covilhã.
Eixo 3. Registo detalhado das atividades desenvolvidas, nomeadamente no âmbito da Cultura, Desporto e Voluntariado, com a composição narrativo/descritiva da origem, desenvolvimento e epílogo do projeto. Este trabalho dará origem à publicação de um livro, e a um portfolio online com as mesmas matérias. Criação de uma segunda obra de registo, Ident.Idades, sobre as experiências e a integração multicultural dos estudantes. Este livro é composto por entrevistas/histórias de vida dos estudantes nacionais e estrangeiros recém-chegados à UBI e ao IPG – suas expectativas e experiências; e com entrevistas/histórias de vida de estudantes internacionais que concluíram os seus estudos na UBI e IPG e regressaram às suas comunidades.
No seu conjunto, o projeto oferece um contributo relevante à animação sociocultural do Interior, dinamizando atividades culturais, de voluntariado, lúdicas, desportivas e recreativas; permite estudar processos de integração multicultural; dá corpo às recomendações de diversos relatórios da tutela (2008, 2017) relativos à integração de estudantes, articulando-se harmoniosamente com as estratégias públicas do Governo de Portugal para esta matéria, e na estratégia das próprias IES que o acolhem, podendo constituir um factor suplementar na atração e recrutamento de estudantes internacionais.

Proponentes do projeto
  • Anabela Gradim
  • Joaquim Paulo Serra
  • João Canavilhas
  • João Carlos Correia
  • José Carlos Alexandre
  • Regina Gouveia
  • Vítor Amaral
Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

  • Orçamento
    32000 €
  • Âmbito do Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Centro
  • Municípios onde aplicar

    Covilhã, Guarda

  • Prazo
    24 meses
  • Links do projeto

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal