#568

CED - Controlo de Colónias de Gatos Silvestres

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Capturar-Esterilizar-Devolver (CED) é um método humano e eficaz de controlo de colónias de gatos e de redução das populações felinas silvestres. O processo envolve a captura dos gatos de uma colónia, a sua esterilização, um pequeno corte na orelha esquerda para fins de identificação, desparasitação e, por fim, a devolução dos animais ao seu território de origem, onde são alimentados e protegidos por um cuidador. Sempre que possível, os animais adultos dóceis e as crias que ainda estejam em idade de socialização são retirados das colónias e encaminhados para adopção.

Este procedimento foi entretanto legalmente reconhecido como consta da Portaria n.º 146/2017, de 26 de abril :
"A Lei n.º 27/2016, de 23 de agosto, aprova medidas para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais e estabelece a proibição do abate de animais errantes como forma de controlo da população, privilegiando a esterilização.
Para o efeito, a presente portaria fixa as condições e normas técnicas a que devem obedecer os programas de controlo das populações errantes de animais de companhia, nomeadamente os programas de captura, esterilização e devolução de gatos, e o funcionamento dos centros de recolha oficial. (...)
(...) Artigo 3.º
Princípios gerais
1 - A existência de animais errantes deve ser evitada mediante a promoção da sua captura, esterilização e adoção e pela implementação de programas de captura, esterilização e devolução no caso de colónias de gatos, eliminando-se, progressivamente, no prazo de dois anos a contar da data da entrada em vigor da Lei n.º 27/2016, de 23 de agosto, o recurso ao seu abate como forma de controlo da população de animais errantes. (...)".

Neste sentido, esta proposta tem como intuito a angariação de verbas para que seja possível a implementação do método CED na Ilha Terceira em larga escala, possibilitando a esterilização em massa de um grande número de animais.

As vantagens do CED

Na Comunidade:
-Menos gatos silvestres e vadios em toda a comunidade;
-Menos abates;
-Menos queixas aos serviços municipais;
-Maior cooperação dos cuidadores;
-Mobilização de acções de voluntariado;
-Redução de custos;
-Relações Públicas vantajosas para os serviços municipais

Na Colónia:
-Não haverá mais ninhadas, e a população de gatos irá diminuir com o tempo;
-Redução drástica do barulho;
-O cheiro torna-se muito menos intenso;
-Mantém-se o controlo de roedores;
-Uma colónia mais saudável e menos visível;
-Exclusão do factor pena/tristeza;
-A presença de um cuidador;
-Evita a criação de uma outra colónia, e não esterilizada

O principal intuito deste projecto é o de reduzir drasticamente o número de nascimento de animais na rua, tendo assim um maior controle sobre a população de gatos silvestres.

Numa primeira fase de levantamento de colónias ao longo da ilha, foram identificadas pelo menos 15 colónias com cuidador com cerca de 8 animais cada. Destes 8, cerca de 2/3 serão fêmeas. Cada fêmea pode parir até 3 vezes num ano, considerando uma média de 2 gatos por ninhada. O que se traduz aproximadamente em 15 colónias x 5 gatas x 3 ninhadas x 2 gatos = 450 nascimentos de animais ao final de um ano.

Este número nunca chega a ser real devido à taxa de sobrevivência, morte por envenenamento, atropelamentos, doença, maldade humana, fome, etc
Mesmo assim, são números muito significativos, e será de todo o interesse minimizá-los intervindo no maior número de colónias possível.

Para que o projecto de esterilização em massa possa avançar na ilha Terceira, são precisas verbas para fazer face às despesas veterinárias com a esterilização de todos os animais das colónias identificadas, machos e fêmeas, bem como para a aquisição de material de captura apropriado.

Serão necessárias cerca de 15 transportadoras Ferplast Atlas com custo aproximado de 25€/cada
2 Armadilhas automáticas e uma manual com custo aproximado de 100€/cada
E uma verba de cerca de 40€/por animal a esterilizar.

Para poder implementar este procedimento num grande número de colónias da ilha, estima-se que seriam necessários cerca de 10.000€.

Proponentes do projeto
  • Ana Sofia da Silva Lourenço Ferreira
Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

  • Orçamento
    30000 €
  • Âmbito da Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Região Autónoma dos Açores
  • Municípios onde aplicar

    Angra Do Heroísmo, Praia Da Vitória

  • Prazo
    24 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal