#5

Serra de Aire e Candeeiros - Agricultura em Modo de Produção Biológica e Silvo-pastorícia como estratégia de equilíbrio ambiental e manutenção da população e da economia local

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Iniciativa com o objetivo de obter e transferir conhecimento para criar valor e contrariar o abandono agrícola nas zonas da rede natura do maciço calcário estremenho (Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros) e zonas envolventes dos concelhos de Porto de Mós, Batalha e Alcanena.
Nestes três concelhos, essencialmente nas freguesias/lugares inseridas na zona serrana, existem indicadores de envelhecimento da população muito acima da média nacional, abandono agrícola e desertificação humana. Esta situação tem conduzido à florestação com árvores de crescimento rápido dos solos de elevado potencial de fertilidade, os denominados coluviossolos e terra rossa, aproximação da floresta e dos matos aos pequenos aglomerados populacionais, grande risco de incêndios rurais, aplicação indiscriminada de herbicidas de controlo de infestantes e arbustos, mesmo nas áreas florestadas, pondo em perigo aquíferos que estão ligados por infiltração e linhas de água subterrâneas a estas zonas e à degradação da paisagem.
Com este enquadramento torna-se necessário caminhar para sistemas de produção agrícola sustentáveis, ambiental e economicamente, ou seja, fazer com que no futuro tenhamos nesta zona manchas contíguas de área significativa com agricultura em modo de produção biológico, quer nos solos de elevado nível de fertilidade, como os referidos coluviossolos, quer nos solos de meia-encosta, com olival e pastagens, bem como nos montes com floresta e matos para a silvo-pastorícia.
Assim o projeto terá as seguintes tarefas:
I - Nos solos de baixa, profundos, com elevados níveis de matéria orgânica e de fertilidade, o que aliado a um microclima com elevadas precipitações e grande frequência de orvalhos intensos, permite a realização de interessante atividade agrícola com culturas temporárias de sequeiro, propõe-se:
a) Instalação de campos de experimentação/demonstração em 6 explorações agrícolas piloto diferentes (2 por concelho), a utilizar como forma prática de divulgação e formação para as seguintes rotações culturais em sequeiro, a 2 anos, em reconversão de agricultura convencional para modo de produção biológico, com seguimento por sequência das mesmas rotações:
- Rotação 1 - Trevo encarnado para sideração x Batata (1.º ano) - Nabo para grelos x Abóbora (2.º ano)
- Rotação 2 - Tremoço doce (1.º ano) - Nabo para cabeça x Cebola (2. ano)
- Rotação 3 - Alho (1.º ano) - Couve x Curgetes (2.º ano)
- Rotação 4 - Nabo para nabiças e grelos x Curgetes (1.º ano) - Alho (2,º ano)
- Rotação 5 - Nabo para cabeça x Cebola (1. ano) - Tremoço doce (2.ºano)
- Rotação 6 - Trevo encarnado para sideração x Abóbora (1.ºano) - Nabo para nabiças e grelos x Batata (2.º ano)

b) Acções de acompanhamento e demonstração nos campos instalados para grupos de agricultores em formação prática
c) Avaliação técnica-produtiva e económica dos campos instalados
d) Elaboração de folheto/manual técnica para cada uma das culturas instaladas

II - Para os solos sem as características referidas no ponto I, de meia encosta, propõe-se:
a) Selecionar 3 olivais tradicionais e apoiar tecnicamente a sua reconversão para o modo de produção biológico
b) Acções de acompanhamento e demonstração dos olivais em reconversão para o modo de produção biológico para grupos de agricultores em formação prática
c) Avaliação técnica-produtiva e económica dos resultados dos olivais
d) Elaboração de folheto/manual técnico para o olival em modo de produção biológico

III - Para os solos esqueléticos de pastagens permanentes ou florestados, propõe-se:
a) Sensibilizar e apoiar duas exploração pecuária em regime extensiva que utilize o pastoreio direto para a reconversão em modo de produção biológico
b) Estudar o encabeçamento adequado para o controlo vegetativo em faixas de contenção de combustíveis junto às povoações e em zonas de contra-fogo
c) Apurar a redução de custos no controlo das faixas de contenção e controlo de combustíveis entre a operação manual/mecânica e o uso do pastoreio animal

IV - Tarefas de caracter geral:
a) Eventos de divulgação do conhecimento teórico e prático das etapas de conversão para a Agricultura Biológica
b) Apoio técnico a quem pretenda encetar o modo de produção biológico nas suas explorações agrícolas
c) Organizar circuitos comerciais na economia social da região (escolas, lares, clínicas de cuidados continuados e outros)
d) Promover o conceito qualificado de produto de agricultura biológica junto dos consumidores
e) Desenvolver o mercado de proximidade em locais de venda, tipo rota de produtos de agricultura e ambiente sustentáveis, incluir as explorações de agricultura biológica em eventuais rotas de turismo natureza
f) Sensibilizar os estabelecimentos de restauração e hotelaria da região alargada às cidades próximas de Leiria, Fátima e Santarém.
g) Criar condições de acesso aos mercados por parte dos produtores aderentes através de postos de venda locais e mercados de proximidade (Leiria, Santarém e Fátima).

Proponentes do projeto
  • Nuno Dinis da Silva Salgueiro
  • António Lopes
Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural

  • Orçamento
    175000 €
  • Âmbito do Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Centro
  • Municípios onde aplicar

    Batalha, Porto De Mós, Alcanena

  • Prazo
    18 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal