#671

Yoga e Meditação nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses

Justiça

Justiça

Estabelecer um Programa a nível nacional, que envolva um grupo de Professores de Yoga e Meditação Certificados, para garantir aulas semanais nos Estabelecimentos Prisionais Portugueses a nível nacional, de forma a ajudar a reinserção social, transformação física e cerebral.
Missão: Porque queremos ensinar Yoga e Meditação nas Prisões? É facto que a maioria dos prisioneiros sofre de algum tipo de trauma desde o início da vida, como o abandono, fome, ausência de um lar, violência doméstica, abuso sexual, “bullying”, discriminação, abuso de drogas e álcool e testemunho de crime - incluindo assassinatos. Essas experiências, impregnadas pelas emoções aterradoras que os acompanham, são mantidas em níveis profundos da mente, e também, no corpo, com os efeitos dissociativos do comportamento impulsivo e das tendências para a droga e o vício do álcool, bem como a violência. Tradicionalmente, os terapeutas comportamentais cognitivos ajudam as pessoas a processar o trauma não resolvido, mas mais recentemente, psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e clínicos reconhecem que as práticas de incorporação como Yoga e Meditação, enriquecidas com práticas de atenção e foco, podem ter mais impacto no alívio de sintomas que levam a comportamentos reactivos e doenças relacionadas ao stress. A ideia “Yoga e Meditação nas Prisões Portuguesas” nasce em 2013, a partir de um projecto de arquitectura que foi a concurso em San Francisco (USA) para a reabilitação de uma plataforma petrolífera, em que o foco é a transformação cerebral. (ver jpeg).
Na sequência deste estudo e combinando com o trabalho que desenvolve há 18 anos com o Yoga e a Meditação, Inez Aires (Engenheira do Ambiente e Professora de Yoga), redesenhou a ideia de forma a criar um programa que possa ministrar estas práticas em ambientes prisionais. O Yoga como prática é uma poderosa ferramenta para restaurar a relação entre os prisioneiros com seus corpos, e restaurar a ligação entre a mente, o corpo e o espirito. Assim, ajuda-se ao desenvolvimento completo do individuo, de forma a aumentar a sensibilidade em si mesmo e consequentemente a empatia pelos outros. Ao colocar os homens e as mulheres em contato com seus corpos, eles começam a ser mais conscientes e a entender os danos que causaram. O nível mais alto de inteligência emocional ou de alfabetização emocional é sensível, superando a mente, confiando nos sentidos, e integrando a experiência corporal. Outra forma abordagem é usando o corpo para ensinar a mente. Assim, a prática é desenvolvida na óptica de proporcionar aos prisioneiros uma maior sensibilidade à forma como sentem os seus corpos. Quando um individuo desenvolve um relacionamento íntimo com sua própria sensibilidade, é menos propenso a violar outro. Isso é empatia. E a empatia, quando encorajada, leva à compaixão. Gradualmente, o ciclo de violência é interrompido. O objetivo é fornecer aos presos uma ferramenta de atenção e foco e incorporar a pratica de Yoga mesmo quando não estão a praticar.  Por exemplo: se surgir alguma situação de confronto, ou a tentação de voltar a usar alguma substancia nociva, eles podem recorrer às técnicas que aprenderam no Yoga e Meditação, como soluções práticas. Estas técnicas podem ser usadas tanto no tapete como fora deste. Esse é o valor transformacional e reabilitador do Yoga.
Metodologia: Hatha Yoga e Meditacao. A meditação consciente é um método comprovado cientificamente que ajuda ao alivio do stress, *a melhoria da atenção, ao fortalecimento do sistema imunitário, e promove a saúde física e psicológica. Alguns casos de estudo do Centro Médico da Universidade de Massachusetts e do Centro de Pesquisa de Mindfulness da UCLA mostraram resultados positivos ao trabalhar a meditação com adolescentes e adultos que sofrem transtornos de déficit de atenção, depressão e ansiedade.  Além disso, pesquisas recentes conduzidas pela Faculdade de Medicina da Universidade de Boston sugerem que Hatha Yoga pode aliviar significativamente os sintomas do Transtorno de Estresse Pós-Traumático.
Programa: Aulas de Yoga e Meditação, em grupo, com alguma frequência semanal, de forma a ensinar as ferramentas e criar a vontade de os reclusos tanto praticarem nas aulas em grupo como também a titulo individual. Este programa promove a consciência mental / corporal geral que pode fortalecer a capacidade de reflexão, aceitação e mudança. A aplicação da prática do Yoga para o desenvolvimento da autodisciplina, da inteligência emocional e do controle de impulsos é outro ponto de referência importante do nosso trabalho, particularmente no que diz respeito à recuperação do vício e à prevenção da violência.
A Equipa e o Calendário:Pretende-se que este Programa corra a nível nacional e envolva todos os Professores de Norte a Sul do País, que estejam interessados em colaborar. Assim, organiza-se uma convocatória para formar uma Plataforma de Professores, distribuindo-os por Zonas e Estabelecimentos Prisionais, bem como calendários de aulas.

Proponentes do projeto
  • Inez Aires
  • Pedro Mendes Ferreira
  • Luis Oscar Jervell
Justiça

Justiça

  • Orçamento
    100000 €
  • Âmbito do Projeto
    Nacional
  • Regiões onde aplicar
    Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo, Algarve, Região Autónoma dos Açores, Região Autónoma da Madeira
  • Prazo
    12 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal