#705

Língua de Todos - No Palco do mundo

Igualdade e Cidadania

Igualdade e Cidadania

Introdução
A migração, entendida como a troca de cidade, país, região ou simplesmente como a mudança de residência, propicia a mudança nas sociedades de onde provêm e, também, nas de destino. É este fluxo que possibilita a intersecção de diferentes culturas, quadros de referência e até valores, sendo fator propulsionador da evolução em direção à constituição de um mundo global. No entanto, são inúmeros os desafios próximos do processo de migrar. Associado a este está a capacidade de mudança e adaptabilidade do ser humano. Tal como Natália Ramos1 cita “o migrante torna-se um indivíduo portador e agente da cultura, mediador entre dois universos sociais e culturais diferentes”. O indivíduo migrante tem, por um lado, de abandonar a tranquilidade, as sensações e os hábitos que lhe proporcionam segurança, e por outro, tem de aprender a reconstruir e adaptar-se a uma nova realidade.
Este projeto, por conseguinte, está centrado em dar a conhecer a importância e a relevância da migração de seres humanos para o estado atual do nosso planeta e da nossa “humanidade”. O foco principal será sempre o de unificar, pacificar e encontrar semelhanças na diferença e na “indiferença”. Assim, recorrendo às artes cénicas, prentede-se trabalhar vários aspetos da sociedade atual, brincar com acontecimentos, contar histórias, desmontar preconceitos, e acima de tudo, unir crenças e ideologias.
O uso da arte faz-se porque é uma forma de expressão social e política do homem, para além da arte ou do entretenimento. Os textos e as encenações são reflexos de formas de pensamento, épocas e vivências sociais e funcionam também como o retrato de um período ou de uma sociedade. Quem assiste a uma peça de teatro sai sempre modificado, seja de que forma for, pois o intuito do teatro é sempre provocar. Provocar o riso, provocar o choro, a compaixão a alegria ou mesmo simplesmente a indiferença. Assistir a uma peça de teatro pode ser uma grande experiência de vida, onde a pessoa se modifica internamente. O teatro acontece na relação física entre os atores e o público. É nessa relação que se estabelece o seu conteúdo.
Desta forma, o projeto pretende desenvolver uma peça de teatro e uma longa-metragem acerca do tema explanado - Migrações.
Este surge de uma necessidade de colmatar uma necessidade de explorar o conceito de migrações. Este projeto será executado durante 6 meses e conta com uma panóplia de profissionais, bem como, com a participação de todos as pessoas migrantes que manifestem interesse em colaborar.
Em suma, como a palavra "teatro" deriva de os verbos gregos "ver, enxergar", lugar de ver, ver o mundo, se ver no mundo, se perceber, perceber o outro e a sua relação com o outro, ele mostra o comportamento social e moral, por meio do aprendizagem de valores e pelo bom relacionamento com as pessoas. Neste projeto, o teatro surge, portanto, como um veículo que retrata, tal como no início da história do Homem, um grupo de seres humanos que iniciam a sua odisseia em busca do paraíso perdido. Cada um carregando o peso da sua própria história. Do encontro nasce uma nova civilização.

Proponentes do projeto
  • Leoter Viegas
  • Liliana Janeiro e Margarida Benevides
Igualdade e Cidadania

Igualdade e Cidadania

  • Orçamento
    100000 €
  • Âmbito da Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Região Autónoma dos Açores
  • Municípios onde aplicar

    Lagoa, Nordeste, Ponta Delgada, Povoação, Ribeira Grande, Vila Franca Do Campo, Angra Do Heroísmo, Lagoa

  • Prazo
    18 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal