#759

Praias Para Todos na Costa Alentejana

Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

A Costa Alentejana oferece algumas das melhores praias do país e da Europa, em termos de qualidade ambiental e paisagística. No entanto, e embora se tenha registado uma evolução positiva ao longo dos últimos anos, as praias do Alentejo são ainda pouco inclusivas, em termos de condições de acolhimento para todos os cidadãos, independentemente da sua idade e condição física.
A presente proposta refere-se a duas praias do litoral Alentejano, tendo como desígnio constituí-las como casos exemplares em termos de inclusão, garantindo condições de acolhimento para todos, salvaguardando, assim, os direitos das pessoas com necessidades especiais, resultantes de factores permanentes ou temporários, de ordem física, intelectual, sensorial, ou comunicacional.
A proposta de intervenção incide na Praia da Costa de Santo André (município de Santiago do Cacém) e na Praia de Melides (município de Grândola), ambas detentoras de Bandeira Azul e ambas classificadas como “Zonas Balneares Acessíveis a Pessoas com Mobilidade Condicionada”. Não obstante esta classificação de acessibilidade, subsistem numerosas barreiras e condicionantes, que impedem a fruição plena por pessoas com necessidades especiais.
Propõe-se, assim, a realização de diversas intervenções, no sentido de permitir melhores condições de inclusão para todos os cidadãos, em termos de acessibilidade física, acessibilidade à informação e acessibilidade a serviços, conforme se sumaria em seguida, em linha, aliás, com as recomendações do Programa “Praia Acessível - Praia para Todos”, nomeadamente:
» Prolongamento dos passadiços existentes aproximando-os tanto quanto possível do mar e das lagoas (de Santo André e de Melides), bem como, de ligação das praias permitindo um melhor usufruto de todos das condições paisagísticas e ambientais que as mesmas oferecem.
» Melhoria das zonas de estacionamento e aumento de numero de lugares disponíveis.
» Instalação de equipamentos anfíbios para o banho e/ou o passeio na praia de pessoas com mobilidade reduzida (cadeiras de rodas, andarilhos, canadianas, etc.);
» Criação de sistemas para encaminhamento na praia e de acesso ao banho para pessoas cegas, de modo a favorecer a sua autonomia;
» Instalação de vestiários, duches, bebedouros e lava-pés acessíveis a todos;
» Criação de espaços de acolhimento e apoio, com sombra, reservados a pessoas com mobilidade reduzida e a pessoas cegas ou com baixa visão, com cães de assistência;
» Criação de serviços de acolhimento personalizado e de orientação para pessoas com mobilidade condicionada, pessoas portadoras de deficiência visual, ou de outras deficiências;
» Desenvolvimento de actividades lúdicas e pedagógicas acessíveis e inclusivas;
» Disponibilização de Informação ao público em formatos acessíveis e em diversos suportes: i) no local através de painéis informativos e sinalética inclusiva, simples, clara, concisa e precisa; ii) em formatos digitais, acessíveis através da Internet, incluindo informação em Língua Gestual Portuguesa, para pessoas surdas e áudio-descrições para pessoas cegas e com baixa visão, iii) nos apoios de praia, pela disponibilização dos menus nos formatos mencionados em cima.
» Utilização de código de cores para daltónicos "ColorAdd" em bandeiras indicadoras do estado do mar e em contentores para recolha selectiva de resíduos.

Proponentes do projeto
  • Frederico Lamas
  • Fernando Manuel Ferreira Miranda
  • Sandra Caiado Pereira
  • Catarina Maria Nyogeri Correia
  • Teresa Chainho
Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

  • Orçamento
    150000 €
  • Âmbito do Projeto
    Regional
  • Região onde aplicar
    Alentejo
  • Municípios onde aplicar

    Grândola, Santiago Do Cacém

  • Prazo
    18 meses
  • Links do projeto

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal