#792

Sistema de transportes para doentes com patologia oncológica, mudança de paradigma

Saúde

Saúde

Propomos alteração do modelo de transportes para doentes com patologia oncológica, nomeadamente no Alentejo. Devido às suas condicionantes físicas e psicológicas, não devem estes ser agrupados de modo indiscriminado com doentes saudáveis (que apenas seguem para acompanhamento em outras valências hospitalares), colocando a saúde, na sua perspectiva global, de ambos os grupos, em risco.
Assim, o Sistema de Gestão de Transportes de Doentes (SGTD, denominação no Alentejo), deve ter em conta, não apenas os horários dos tratamentos/consultas dos doentes oncológicos, mas as necessidades especiais de transporte destes doentes, em que o tempo total, entre viagens e procedimentos clínicos, causam transtornos psicosociais nestes doentes e seus cuidadores/familiares, causando também, presenças e atrasos desnecessários nos serviços de saúde, por tempo demasiado longo ("overcrowding", que instala muitas vezes sensação de descontentamento e dificulta na realização dos vários procedimentos clínicos necessários).
É necessária a optimização dos serviços/unidades de prestação de cuidados e a resolução do "overcrowding", parece ser um caminho.
Propomos um Sistema de Transportes, com sinalização destes doentes, através das unidades onde o diagnóstico da patologia oncológica é realizado, permitindo a selecção dos mesmos, formando uma Rede de Transportes Exclusiva para Doentes Oncológicos. Acreditamos que, possa ser:
"cost saving"
"life saving"
"time saving"

Proponentes do projeto
  • Isabel Maria Pereira Lobato
Saúde

Saúde

  • Orçamento
    250000 €
  • Âmbito do Projeto
    Nacional
  • Regiões onde aplicar
    Centro, Alentejo
  • Prazo
    24 meses

Mais informações sobre o Orçamento Participativo Portugal